Um Gato no Cérebro (Un Gatto Nel Cervello – Lucio Fulci, 1990)

Uma viagem de sangue, vermes, vísceras e orgias de violência ininterrupta pelos cantos podres da mente de um dos diretores mais loucos e criativos do (outro) mundo. Quem já teve algum contato com a filmografia do cara sabe o quanto significa dizer que Um Gato no Cérebro é o filme mais extremo de Lucio Fulci. Um fiapo de trama e uma não-narrativa onde o ritmo alucinante é ditado por intervalos quase irrelevantes entre as mortes, uma sobre a outra, uma mais absurda que a outra.

É o gore puro. Revisite a obra de Fulci (especialmente nos 70 quando ele ainda não filmava de dentro de uma camisa de força) e dispa seus filmes de toda sofisticação visual, de discurso, de atmosfera, daquela habilidade hipnótica de conferir horror às coisas simples e, lá no centro, como a semente de uma fruta, você vai encontrar a violência em estado virgem, vermelha, como que esperando pra ser jogada no ventilador.

É assim que Fulci se aproxima de Exorcismo Negro e Ritual dos Sádicos, do Mojica, mas recusa todo e qualquer desenvolvimento nobre que poderia ser feito da metalinguagem, tão bem tratada quando é utilizada no cinema. Fulci é demente e não quer nem saber de estudo de personagem, de auto-perspectiva, de reflexão pedante e pretensiosa acerca dos seus próprios ires, vires e voltares. A psicologia é tratada como prostituta, usada e jogada fora apenas como forma de definir noções meio vagas de início e fim.

Um Gato no Cérebro é tipo uma obra de arte de um serial killer que pega um corpo em perfeito estado, o corta em pedaços, mistura tudo e monta de novo com o lado de dentro pro lado de fora e com um pé no lugar da cabeça.

*Título em pt – tradução livre do original italiano

4/4

Luis Henrique Boaventura

2 Comments

Filed under Comentários

2 Responses to Um Gato no Cérebro (Un Gatto Nel Cervello – Lucio Fulci, 1990)

  1. Muito bom descobrir fitas como essa! Ótima dica!

  2. Lucio Fulci estudando seu próprio cinema… Bom filme.

    3/5