As 3 Faces do Mal (The Washing Machine / Vortice Mortale – Ruggero Deodato, 1993)

Tem um tom de thriller convencional que vai sendo frame-a-frame ‘estragado’ e sugado pra uma atmosfera erótico-hermético-onírico-wtf quase como uma representação do plot policial comum quando absorvido pelo horror (no caso, o italiano [no caso, o de Deodato **no caso, o do cara que fez Cannibal Holocaust**] – dois gêneros que se combinam pra parir uma aberração de muito mau gosto da ‘genética’ cinematográfica – ou qualquer merda nesse sentido).

A estrutura copia o conceito do “Vortice Mortale” (título original), ou seja, segue em ciclos se perdendo e submergindo num espiral de acontecimentos e bizarrices, quando aquela linha espessa entre o sóbrio e o lunático vai se decompondo até que o nosso herói não passe de uma bola de vôlei jogada de um lado pro outro pelas tais “3 faces do mal” do título nacional, três das mulheres mais fantasticamente vagabundas-filhas-da-mãe já representadas num filme (uma delas literalmente o estupra, a outra mantém uma relação lésbico-pedófila com uma garota cega, e a outra quase dá pra ele em um museu diante de dezenas de deficientes visuais – isso pra ficar nos fatos mais notórios).

Não que seja mais um italiano totalmente doido e desorientado, pelo contrário, a elegância da narração do Deodato e o ritmo todo habilidoso com que ele vai te cercando e te trazendo pra o que mentia ser um suspense ordinário e que na verdade é puro delírio são troços que, por mais que travistam o filme em uma aura de anarquia e porralouquice “e ok, derramei chá de coca no roteiro, vâmo filmar essa porra de qualquer jeito”, trazem lá dentro girando uma em torno da outra a mais absoluta loucura coexistindo com a mais transparente consciência, ou seja, sabia que o sabiá sabia assobiá.

4/4

Luis Henrique Boaventura

Screenshots!

Se alguém entendeu alguma coisa de toda essa merda que eu vomitei aí, beleza, pra todos os outros, vejam The Washing Machine; vai ficar claro feito água:

nullnull null null null null null null null null

6 Comments

Filed under Comentários, screenshots

6 Responses to As 3 Faces do Mal (The Washing Machine / Vortice Mortale – Ruggero Deodato, 1993)

  1. Ary

    Essa cena da máquina de lavar me lembrou de “Dia dos Namorados Macabro”, que é 81 e uma cena muita semelhante. Será que foi “chupada” por Deodato de lá?

  2. Luis, espero conseguir fazer boas avaliações dos filmes do Argento. Acho muito legal falar do tio Argento porque de uma forma ou de outra a maioria dos cineastas italianos devem a ele, Bava e Fulci.

    Abraço.

  3. Dia dos Namorados não vi ainda, mas é possível sim, italianada é tudo picareta o/ (mesmo apesar de que foi o giallo que deu origem à toda a geração slasher americana dos anos 80, mas isso é outra história).

    É o trio de ferro, Alexandre, realmente, Argento, Bava e Fulci. De certa forma o maior poder de influência ali foi o Bava, que foi quem estabeleceu o padrão estético e narrativo, ainda nos anos 60, de todo o cinema fantástico que seria feito na década seguinte (o próprio Argento deve a ele as cores de Suspiria).

  4. Bava é o próximo da lista. embora achar os filmes dele seja mais difícil dos que os do Argento. Engraçado como o Argento virou cult e o Bava virou página de rodapé (que fique claro que não concordo, mas é assim que a coisa funciona rsrs).

  5. Bava, Fulci e Argento. É bem facil achar grande parte dos filmes 3 por ae.

    Bava fora uns epicos/comedia de inicio de carreira tem tudo na net com imagem otima e legenda em pt.

    Operazione Paura, Sei Donne Per L’assassino e Lisa and the devil. São influências diretas na obra do Argento.

    E coisa bizarra deve ser filme do Deodato, achou aonde?