[Rec] (Jaume Balagueró, 2007)

Qual a condição real do homem? Seríamos seres constantemente vigiados por Deus, que nos dita seus ensinamentos para sermos dotados de felicidade e façamos as pessoas felizes? Por outro lado, estaríamos sob a supervisão de um demônio latente, que cuidadosamente aguarda à espreita, pronto para nos atacar na medida em que nos distanciamos mais do primeiro? Ou seríamos simples indivíduos à mercê do caos imposto por duas entidades sobrenaturais que nos impõem suas características “preferidas” de acordo com nossas alternâncias psicológicas?

Em [Rec] a resposta para essas perguntas é única e assustadora: somos nós mesmos, dependendo do ponto de vista, a unificação das três idéias acima representadas. Quando nos deparamos com a intensidade da cena onde avistamos as sombras tênues dos humanos por trás do isolamento do prédio onde todos os eventos importantes do filme ocorrem, a visão das roupas brancas dos trajes protetores nos remete a uma espécie incoerente de “Deus maligno”, aquele com poder de salvar, resgatar as almas, criaturas, mas que não se importa, não faz nada diante do abismo que se encontram em seu microcosmo porque está externo à ele.

E parece que ele, nesse momento, os isolara conforme um deus antigo e temido, como se fossem o resultado de algo que deu terrivelmente errado, servindo de janela para os não afetados pelos erros e pecados. O prédio contém a soberania do caos, a ditadura do horror, o resultado dos erros cometidos dos outros. “Dê graças a Deus por você estar fora do prédio…eles morrerão para que “aquilo” não venha até você.”

Por outro lado, a face demoníaca do caos ataca livremente, em um mundo sem regras, onde pode demonstrar sua fúria sem restrições, sem obstáculos. Um vírus, uma ameaça biológica ou uma possessão direta e terrível. E toma tudo, um por um, destrói tudo que vive nesse microcosmo (que em determinado momento do filme parece o único universo existente, pela importância) a seu belprazer.

Mas seriam essas pessoas vítimas? Criaturas escolhidas para experimentar a ira de seres infinitamente mais poderosos servindo de espelho para outros seres em decadência fora de tal universo?

Na verdade, os humanos possuem todos estes atributos. São intrinsecamente vítimas, deuses e demônios, ao mesmo tempo. Balagueró e Plaza convidam você para participar desse banquete do caos, da materialização do inferno na Terra.

O cenário: Uma reportagem feita por uma tv local que objetiva fazer um documentário sobre o corpo de bombeiros, relatando suas atividades noturnas. Ao investigar um chamado ocorrido em um prédio sobre um acontecimento relacionado aos gritos de uma senhora em um dos apartamentos, eles jamais imaginariam que o mundo se restringiria a tal prédio, que os seres viventes se transformariam nessa partição do universo físico e que o terror assolaria e provocaria uma destruição tão grande.

Filmado em primeira pessoa (com um dos personagens portando uma câmera), [Rec] lembra bastante o recente Cloverfield e Witch Blair Project, filmes cuja origem parecem advir do sucesso de um filme de 1980 (que possivelmente se inspirou em outro e assim por diante) chamado Cannibal Holocaust… mas isso é outra história.

4/4

Silvio Tavares

3 Comments

Filed under Comentários

3 Responses to [Rec] (Jaume Balagueró, 2007)

  1. caiolefou

    É bem bom. E você enxergou muita coisa nesse filme hein?! hehe

    Mas Cloverfield é o melhor do tipo nos últimos tempos.

  2. djonata

    bain. rec é tipo anos luz à frente desse cloverfield.

  3. Tremendo filme de terror. E que belo texto hein ?

    Boa lembrança do crássico Cannibal Holocaust