Tag Archives: Dinheiro Sujo

Expresso Para Bordeaux (Jean-Pierre Melville, 1972)

A dor, pra Melville, não tem cheiro, não tem textura, não tem expressão; não se manifesta no nível emocional da superfície, capaz de ser captado pelos sentidos humanos. É muda, subterrânea e deixa no seu rastro apenas e nada mais … Continue reading

Comments Off

Filed under Comentários