Tag Archives: alain delon

A Primeira Noite de Tranquilidade (La Prima Notte di Quiete – Valerio Zurlini, 1972)

Não pensei que fosse encontrar de novo uma cumplicidade tão perfeita entre ator e diretor quanto em Le Samouraï, do Melville. E tomei no cu, óbvio. Culpa, mais uma vez (e não por acaso), de Alain Delon, o maior de … Continue reading

5 Comments

Filed under Comentários, screenshots

O Círculo Vermelho (Jean-Pierre Melville, 1970)

A atmosfera épica de Le Cercle Rouge é suficientemente vasta para compreender tanto este neo-noir pintado pela óptica metódica de Melville quanto o próprio gênero de sombras e fumaça fundado do outro lado do Atlântico. São mais de duas horas de elegância, … Continue reading

1 Comment

Filed under Comentários

Expresso Para Bordeaux (Jean-Pierre Melville, 1972)

A dor, pra Melville, não tem cheiro, não tem textura, não tem expressão; não se manifesta no nível emocional da superfície, capaz de ser captado pelos sentidos humanos. É muda, subterrânea e deixa no seu rastro apenas e nada mais … Continue reading

Comments Off

Filed under Comentários

O Leopardo (Luchino Visconti, 1963)

Mesmo que, através dos olhos do Príncipe Salinas, O Leopardo seja um filme profundamente triste, há toda uma beleza e uma latência de esperança na luz viva dos olhos de Tancredi e Angélica. Assim, O Leopardo é mais como a ambivalência … Continue reading

3 Comments

Filed under Comentários

O Samurai (Jean-Pierre Melville, 1967)

É estranho como toda a frieza e disciplina e metodismo do personagem parecem ter sido transmitidos a todo o filme como que por contágio viral. Ele é inteiro impregnado de uma beleza pálida, com as cores desaparecendo morrentes em cada … Continue reading

2 Comments

Filed under Comentários

O Eclipse (Michelangelo Antonioni, 1962)

“Gostaria de não amá-lo ou amá-lo muito mais”, afirma a personagem de Mônica Vitti desta emblemática apoteose de sensações catalisada por Michelangelo Antonioni, um dos maiores mestres do cinema. A sentença, proferida em um dos momentos-chave desta singular obra-prima que … Continue reading

6 Comments

Filed under Resenhas